Notice (8): Undefined index: HTTP_ACCEPT_LANGUAGE [APP/Controller/AppController.php, line 55]
Scribe
Leu meu manual né?

Eu conheço a vida, sei como a banda toca. E é por conhecer que não paro de pensar, porque é que tem que ser assim? Entendo que não daria certo antes, sério. E entendo que não daria certo agora. Mas o agora é tão desesperado que me faz agonizar de medo do futuro. Tá na cara que a nossa vi ...
Continue Lendo

---

By: Kamila Fernandes
Category: Poetry and poems

Me irrita, o seu silêncio

Me irrita sim o seu silêncio. Mas moço eu não sou daquelas que implora o amor. Eu não tenho mais idade, nem mais paciência e nem omeprazol suficiente pra esses seus joguinhos. E muito menos tempo. Tenho urgência de amor. Ou quer ou não quer, ou sim ou me deixa viver sozinha e se prepara pra m ...
Continue Lendo

---

By: Kamila Fernandes
Category: Poetry and poems

Metade

Eu vou estragar tudo. Se um dia você sentiu esse amor todo por mim, amasse feito papel e jogue no lixo. Se um dia você chorou por mim, sentiu uma pontada no peito por mim. Esquece. Apaga com borracha daquelas que apagam caneta. Deve funcionar. Todos os momentos que passamos juntos, beijos, abraço ...
Continue Lendo

---

By: Kamila Fernandes
Category: Poetry and poems

Me devolve?

Preciso de alguém que traga tudo o que eu deixei você levar, mas pra isso você precisa me largar. Mas de verdade mesmo, de coração, de alma, me largar. Deixei você me levar, mas me quero de volta. Sei que sua sacola tá pesada, tá rasgando e você não tem mais força pra lidar com o meu tan ...
Continue Lendo

---

By: Kamila Fernandes
Category: Poetry and poems

Você.

"Apareceu do nada e mexeu demais comigo, você." Desconstruo a música pra dar ênfase ao sujeito. Você. Do jeito que é, como a vida fez, com a bagagem que tiver. Que faz minha vida ser mais leve, mesmo estando do outro lado do mundo sem telefone via satélite. Cê me alivia a dor do mundo, ...
Continue Lendo

---

By: Kamila Fernandes
Category: Poetry and poems

Verdadeiro ou falso?

Chá de saquinho. A natureza ali, presa com conservantes e mistura duvidosa. Falso. Bolo de caixinha. Massa industrializada, essência de chocolate, cor de chocolate. Falso. Smartphone. Jogo de montar a vida, a casa, o marido e os filhos. Jogo de virar celebridade, enriquecer e ser fútil. Falso. ...
Continue Lendo

---

By: Kamila Fernandes
Category: Poetry and poems