No Fio Da Navalha

-

Font Size:

 

Perdi a conta das vezes em que assisti ao filme Platoon e, agora, vejo a primeira cena, em que os novatos desembarcam na base aérea do Vietnã e me coloco na pele do protagonista.  A quantidade de candidatos muito diferiu dos demais concursos que prestei: um milhão e cacetada. Nossa Senhora! Sei que não há cabimento comparar uma guerra vivenciada com outra retratada num filme, mas, nesse momento, acomodado em minha poltrona, vejo o pelotão marchando rumo ao campo de batalha e concluo que a busca por um emprego público muito se assemelha a uma guerra.

Qualquer possibilidade de recuar, naquela infernal tarde de domingo, tornava-se nula, cada vez que eu e os outros candidatos avançávamos um passo em direção à sala, onde faríamos a prova. Peguei o celular assim que acordei, e vi uma mensagem: “Olá”. Era um colega dos tempos de faculdade. Como fazia algum tempo que não mantínhamos contato, achei estranho. Mesmo assim, respondi com um cordial “Olá! Como vai?”. Ele só me respondeu depois de algumas horas, quando eu já me encontrava de saída: “Estava voltando da balada, quando teclei com você.”. Mas que filho da mãe!

Aquilo pairou sobre a minha cabeça junto com o sol escaldante, na medida em que eu me dirigia para a sala. Poderia muito bem considerar isso como uma galhofa ou, quem sabe, uma espécie de tortura psicológica, mas obviamente, ele não fazia ideia do que eu, ultimamente, vinha atravessando.

Um antigo colega de trabalho me informou, durante um encontro casual, não haver mais nenhum conhecido na empresa, onde trabalhei. Inclusive ele, que foi mandado embora, há mais de dois meses. Logo, optei em mergulhar de cabeça na caçada por estabilidade profissional, porque não me considerava um macaco para viver assim: “pulando de galho em galho”.  

Quatro horas de prova não é para qualquer um! Na altura daquele campeonato, eu só pensava em ir para a casa, tomar um banho e dormir. Desde que enveredei por esse caminho, aprendi que todo concurseiro deve possuir uma mentalidade de atleta: terminado um torneio, é preciso pensar no seguinte.

 Uma semana depois, lá estava eu naquele mesmo local, dessa vez no turno da manhã, para enfrentar outro concurso. Honestamente, gostei mais dessa prova do que a anterior, todavia, para a minha surpresa, o resultado foi totalmente o inverso.

 

 

 

 

 

Published at : invalid
Category : Short story