**O Presente de Aniversário 

-

Font Size:

 

Pedro estava insatisfeito, pois, naquela segunda-feira, não havia aparecido nenhum freguês na relojoaria dele até que, no final da tarde, uma mulher de vestido azul-claro o procurou:

- Boa tarde, o que deseja? _ Perguntou Pedro.

-Boa Tarde. Eu gostaria de comprar aquele relógio de ouro, quanto custa?

-Oitenta.

Ela o pagou e fez a seguinte pergunta:

-  É possível entrega-lo na minha casa, amanhã?

-Sim. É possível, sim.

-Visto que amanhã é o aniversário do meu marido, quero fazer-lhe uma surpresa.

Após informar-lhe o endereço da residência, despediu-se e foi embora. No dia seguinte, Pedro deixou o seu ajudante tomando conta da loja e dirigiu-se a casa do aniversariante. Lá chegando, bateu na porta e foi atendido por um homem:

-Boa tarde, eu gostaria de falar com o seu Fernando. _ Falou Pedro.

-Sou eu, entre.

-A sua esposa pediu-me para que entregasse ao senhor este presente.

-Desculpe-me, não tenho esposa, sou viúvo. A minha mulher morreu, há doze anos. _ Apontando para o retrato dela.

- Foi ela mesma quem apareceu na minha loja.

-Vá até o cemitério que fica aqui perto e verá que não estou mentindo.

Pedro desculpou-se, despediu-se e seguiu o conselho dele, indo ao cemitério. Olhando tumulo por tumulo, deparou-se com a sepultura dela e para surpresa maior, percebeu que Fernando também jazia lá.   

 

**Primeiro lugar no Concurso de Contos no Colégio Santo Inácio, em 2000.

 

 

Published at : invalid
Category : Short story