O desespero

Font Size:

Acordo e não reconheço onde estou.

Caramba nada faz sentindo, quem eu sou?

É tudo tão diferente e tão sem cor.

A vertigem passa e vou a janela com tremor.


Tudo está tão incoerente, ardente, não atraente.

Me sinto tão sozinho neste quarto branco.

É como se todos estivessem tão distantes....

Será que fiz algo errado? Ou não fui franco?


Tudo que conheci derreteu, apodreceu ou morreu.

É como se a vida se tornasse um imenso cinza.

O que não está junto a Anúbis, não deseja minha presença.

Acham que eu sou um estorvo e que já deveria estar morto.


Estou rindo. Mas não é a risada gostosa.

Ela é louca, eloquente e talvez até mesmo tenebrosa.

Olho minhas pernas pequenas, duras e idosas.


Published at : 23-09-2016
Category : None