A grandeza do momento

Font Size:

Éramos eu, ela e o momento.

Eu? Um cara que vinha tomando umas porradas da vida.

Ela? A minha companhia, o que vinha me fazendo aguentar firme.

O momento? Era tudo o que eu tinha nas mãos, junto de um turbilhão de sensações estranhas.

Encostei minha cabeça sobre o peito dela enquanto nossos amigos riam e ouviam música no outro ambiente. Ela sabia que o dia não havia sido fácil, mas não sabia nem a metade do que tinha acontecido. Ela decidiu ficar. Eu guardei, mas não teria guardado de novo, olhando daqui do futuro. Ela sempre soube da minha fixação com o espaço, então apontou para as estrelas.

"Por que daqui não podemos ver tantas estrelas?", perguntou ela. Respondi brevemente. Olhei pra ela e, por um momento, havia um sorriso naquele rosto, o sorriso pelo o qual eu havia me apaixonado completamente. Ali, eu percebi o quanto o momento, mesmo difícil, era grandioso. 

O universo é gigantesco, o tempo também. Era uma honra para mim, mesmo no pior momento de toda a minha vida, saber que eu havia tido a sorte de ter nascido aqui, neste lugar do espaço e nessa época. Era uma honra maior ainda ter tido a chance de cruzar caminho com essas pessoas. 

Ora, cara amiga, é realmente muita sorte dividir esse momento com você. Afinal, por um deslize que fosse vindo de nossas linhas temporais, talvez eu e você não tivéssemos tido a sorte de nos conhecer.

Agradeço o universo por ter dado ao seu pai a sorte de ter conhecido a tua mãe e dos seus avós por terem se conhecido, és o resultado disso. Tenho sorte por um dia terem decidido construir a cidade que vivemos, sorte que nossas famílias mudaram pra cá em algum momento.

E o momento, ele vai ecoar por aí, como as estrelas que você não viu naquela noite. Elas ainda estavam lá. E mesmo não existindo mais, aquele momento continua a reverberar luz por todos os cantos do meu ser.

Published at : 11-10-2016
Category : Short story