Filhos Do Sol

Parte 01

Font Size:

A vida no interior de Santa Catarina não tem sido fácil nestes últimos meses, uma terrível seca que assola o estado já está começando a causar suas primeiras vitimas e transtornos. Muitos estão deixando o interior do estado indo em direção ao Centro-Oeste do Brasil, onde as chuvas não dão trégua. O que não é diferente para um jovem caminhoneiro, junto com sua esposa e filho, que saem em busca do que todos querem. Água.

“Explosão dupla de tempestade solar ruma para terra e traz preocupações…” Como se isso fosse piorar o calor que eu tenho passado nos últimos dias. “… Rara explosão dupla de tempestade irá atingir a terra na noite de hoje…” Onde estão as notícias importantes? Quando será resolvido esse problema de água que está acabando com todos na região? Quem vai ganhar a corrida presidencial? Pensar em tudo isso não vai melhorar em nada, a única coisa que vai me ajudar agora é gasolina.

Enquanto anoitece procuro desesperadamente um posto de gasolina, o problema é que com essa seca é difícil encontrar algum lugar aberto ou que ainda tenha alguma gasolina. Meu filho e minha mulher dormem no banco de trás, não quero deixa-los preocupados, mas provavelmente esta lata velha não vai aguentar muito tempo ligada.

Agora o carro já começa a dar sinais com o sua repentina desaceleração, resolvo então parar no acostamento. Não quero acordar minha família, mas terei que deixa-los por um instante para ir à busca de gasolina. Pelo menos a estrada está deserta. Mais de duas horas e não encontro ninguém, tenho certeza que ficarão bem.

Olho no relógio e vejo que caminhei mais do que eu deveria, e nada de encontrar algum lugar onde eu possa pelo menos pedir ajuda. Mas não vou desistir agora, minha família depende de mim. Acelero os passos para subir um morro, e logo quando chego ao fim dele encontro uma casa no meio do campo. Sigo em uma estrada de terra que leva até o pátio desta casa, nos fundos existe um grande galpão, já cansado paro e olho para o céu e percebo como a noite está bela. E como se o destino estivesse sorrindo para mim avisto duas estrelas cadentes, fecho meus olhos e faço então o meu pedido, ÁGUA! Quando eu os abro novamente, para minha surpresa vejo que uma das estrelas se aproxima rapidamente na minha direção. Corro desesperadamente para longe dali, tento pular um cercado para me jogar ribanceira abaixo, mas acabo ficando preso. Foi então que aquela imensa luz tocou o solo. O chão tremeu por alguns instantes, e um som estridente vem do local da queda.

Tento me aproximar mesmo que meu corpo relute a isto. Vou ficando cada vez mais perto do local da queda. O que será que tocou o solo? O que era aquela luz? Será possível um meteoro ter caído neste instante. E eu achando que era uma estrela cadente. Bom, lá se vai meu desejo.

Porém quando chego ao local do impacto fico totalmente paralisado. O que diabo poderia ser aquilo? Sempre fui cético em pensar em vida fora do planeta terra. Mas aquilo é uma droga de uma nave! Minha curiosidade aumenta mais não desejo ir até o local para ver o que é. Olho para o céu para ver se encontro a outra luz que estava ao lado desta nave que caiu.

Para minha surpresa ela já não está lá. Mas para onde ela poderia ter ido? Um zunido forte quase me deixa surdo, caio no chão e tento tapar meus ouvidos para não sofrer mais. Meu corpo começa a ser iluminado por uma forte luz branca. Quando olho para cima parece que estou abaixo de uma gigantesca lanterna. Meu corpo começa a ser sugado, tento segurar-me no gramado mais em vão.

Quando ouço uma voz gritando meu nome. Meus ouvidos estavam ainda prejudicados por todo aquele som. Vejo que já estou a alguns metros do chão, tento procurar a voz que grita meu nome e quando vejo lá está minha mulher e filho. Meus olhos se enchem de lágrimas enquanto tento buscar forças para resistir. Mas vendo que não terei energia suficiente para ficar apenas consigo lhes dizer:

- Fujam!

+

Published at : 17-04-2017
Category : Short story