Notice (8): Undefined index: HTTP_ACCEPT_LANGUAGE [APP/Controller/AppController.php, line 55]
User profile

Poeta Jardim

Artist

Bio

Me faço poeta para libertar as emoções aprisionadas nas masmorras da alma, refugiar-me dos meus demônios, contar as mentiras que me tornam verdadeiro. O jardim é uma tentativa humana de organizar a natureza e também uma alternativa para organizar e conciliar a metamorfose das emoções. Mas Jardim também é aquele que me habita, Um pedaço de mim que se aventura pelos portais onde nunca me aventurei. Meu maior patrimônio são os meus versos, com eles construo meu jardim.

Posts

O QUE VIVEMOS, O QUE SONHAMOS

o que vivemos, o que sonhamosestão agora tão embaralhadosque já não sei em que acreditar.nomes, lugares, datas se confundem:o que lembro, se realmenteaconteceu não posso afirmar.o antes, o durante e o depoisestão agora tão trançadosque já não tenho como datar.do amargo adeus que bebi,de tu ...
Continue Lendo

Category: Poetry and poems

QUIXOTE

qualquer coisa arranha(as paredes neutras, o re-lógio que corre), qualquercoisa desanda.já me atiro em pêlo contra a calmados moinhos de holanda.percebi meus passos muito tarde.agora é tarde, todo abraçojá espanta,já não importa.agora é selva!o aço dos moinhosme abraça.guardo comigo dos b ...
Continue Lendo

Category: Poetry and poems

O anjo que pego em meu colo

o anjo que pego em meu colotem um pouco mais na memóriado que a sua infância e me contana vastidão do seu tempoa sua breve história.um anjo em um corpo de mulher,as asas das horas nos informama transgressão e o tempoque em desejos aladoslogo se transformam.o anjo que ponho em minha camaé uma p ...
Continue Lendo

Category: Poetry and poems

Antes que eu pudesse me dar conta

antes que eu pudesse me dar conta, desde o princípio, antes mesmo de te conhecer, já te amava. cultivava este amor repleto de promessas imprevistas, em outro hemisfério, em terras distantes, em outro continente, por cruzar mares e oceanos até me encontrar. já amava a tua cor e o teu toque, tuas ...
Continue Lendo

Category: Poetry and poems

Beijo 

beijo as pétalas da rosa. e em minha boca o meu amor goza.Poema do livro Crônicas do Amor Impossívelà venda em: http://sergioprof.wordpress.comContato: blog: http://sergioprof.wordpress.com/ facebook: http://www.facebook.com/sergio.almeida.jardimtwitter: http://twitter.com/SERGI0_ALMEIDA li ...
Continue Lendo

Category: Poetry and poems

Guardei para ti

guardei para ti rosas e versos, construí cada palavra, pus em cada uma um gosto de sol e mel, busquei matizes e luzes. aguardei que sobre elas derramasses teu sorriso ao encontrares ali o teu nome. minha satisfação brotou entre as pétalas do jardim. o que fiz foi para esquecer as lágrimas já q ...
Continue Lendo

Category: Poetry and poems

Espero o momento

espero o momento de te tocar e sabes que há em ti algo que me envolve e me conquista. esta expectativa é um ensaio que atravessa o abismo entre nossa pele, é um prenúncio de algo em que me fizeste acreditar. algo que me tome quando este momento chegar e quando de mim tu te apoderares. me content ...
Continue Lendo

Category: Poetry and poems

Se amor houvesse

se amor houvesse, isto me bastaria para desaprender meu caminho, para vagar da praça mauá à cinelândia sem direção, quieto e calado, pequeno, leve, para me perder nas curvas e becos da cidade nua, para que me diluísse na multidão? seria suficiente para tocar teus cabelos, para guiar me ...
Continue Lendo

Category: Poetry and poems

siqueira campos

a ruidosa avenida siqueira campos não incomoda a quietude do quarto onde se amam as duas. línguas, cabelos, pernas no escuro se entrelaçam; vermelhos os lábios, os beijos e ambas nuas.   lá fora há uma declarada caça às bruxas que o calor desse abraço e dessas palavras não ta ...
Continue Lendo

Category: Poetry and poems

ando pelas ruas molhadas

ando pelas ruas molhadassob a noite fria.a cada passo o pesodas histórias mal resolvidase dos sonhos deixados para trás.o toque da noite é frio,futuro mutilado, metades perdidasque eu arrasto pelas ruas.ausência de cores, sonhos impossíveis,um sorriso forjado no rosto.contagem lenta e regressiv ...
Continue Lendo

Category: Poetry and poems

na luta diária

na luta diária, tropeços,pedras, nuvens, ventanias,gasto meu tempo, perjuro,gasto meu grama de coragem,meu punhado de futuro.sigo com o olhar atento,como quem leva a urgênciade um recado, resoluto,cumprindo algum mandadopor força do insondável absoluto.entre as colunas da tardecalcinadas de lá ...
Continue Lendo

Category: Poetry and poems

o pretérito é um gigantesco oco

o pretérito é um gigantesco oco,a vida é um sumidouroonde o destino não medea insolvência do tempo.Poema do livro Diários do DesassossegoA venda em http://sergioprof.wordpress.comContato:blog: http://sergioprof.wordpress.com/facebook: https://www.facebook.com/jardimpoetahttps://www.facebook.co ...
Continue Lendo

Category: Poetry and poems

suave, reluzente

suave, reluzente; era assim que guardavatua imagem sob o mármore negro da noite.dias e quilômetros nos separavam,restaram inquietações no horizonte oblíquodas interrogações, limites projetadosnas minhas mais arrogantes ambições.muita coisa mudara, delicadas esperanças,inexplicáveis emoç ...
Continue Lendo

Category: Poetry and poems

deslizo desnudo

deslizo desnudo,sem rumo, sem prumo,aos ventos.singro, sangrosem tino, sem norte,à sina, à sorte.naufrago, calado, mudo,sempre existirãotormentas, tormentos.sinto o cheirodo que se foi,do que se esperaem cada primavera,a forma perdidaprocura seus etcéterasnos ritmos da matéria,no fora, no dentr ...
Continue Lendo

Category: Poetry and poems

ando só

ando só pelas ruas desta cidade fria e vazia.carrego comigo o hiato das impossibilidadese a carga dos desenganos que fazemda noite de sábado um proscênio solitário.encarnação de vazios, deixo para tráspontos de interrogação e concluoque há muita incerteza nos caminhosque se abrem à minha ...
Continue Lendo

Category: Poetry and poems

escura bruma que a noite produz

escura bruma que a noite produz,o vazio neste bar perdidoem uma rua perdida.minhas lembranças mais secretassão estrelas caídasde um céu sem piedade.querendo ou nãosou parte deste dramaque a vida usa para darum sentido mais trágicoao cotidiano.como quem aguardaos passos intermináveis das horas ...
Continue Lendo

Category: Poetry and poems

vivo recolhendo coisas pelas ruas

vivo recolhendo coisas pelas ruas,reunindo minhas humanas incertezasabortadas de meu coração vazioque não entende coisa alguma de nada.na alma toca um bluespor aqueles que se foramem infelizes destinos excomungadosnas encruzilhadas do tempo.vejo a festa e o contentamentoque fugazes escaparam de m ...
Continue Lendo

Category: Poetry and poems

teu amor fala com as palavras de um idioma que desconheço

teu amor fala com as palavrasde um idioma que desconheço,permanece preso em minha garganta,fala ao meu coração que bate,fala aos meus olhos que observam,que descobrem mas não alcançam,canta o silêncio dos apaixonados.não desejes minha alma nuasob esta atmosfera serenaneste fim de tarde.o mund ...
Continue Lendo

Category: Poetry and poems

os ecos da casa ressoam em púrpuras horas

os ecos da casa ressoam em púrpuras horastodas as minhas ausências estão presentes,desvelo o último fôlego das memórias.as tuas tímidas palavras recuam, retornam,penetram sutilmente entre os vãos das portas.os teus passos atravessando o território do sonhodeixam rastros de tristes e breves ...
Continue Lendo

Category: Poetry and poems

escrevi teu nome no vento

escrevi teu nome no vento.extraordinária angústia:os jornais e a falta de encantodo dia negaram a tua presença.Poema do livro DoisA venda em http://sergioprof.wordpress.comContato:blog: http://sergioprof.wordpress.com/facebook: https://www.facebook.com/jardimpoetahttps://www.facebook.com/poetajar ...
Continue Lendo

Category: Poetry and poems

selvagem o corpo que me alimenta

selvagem o corpo que me alimenta,me sacia, vermelhos os íntimos lábiosque a minha boca suga, explora,em pressa, inquieta, em ânsia, em fome.selvagem o corpo que me excita, quente,insone, que adentro e me habita, em sede,em desejo, em agonia, em sonho, em sismo.Poema do livro DoisA venda em http:/ ...
Continue Lendo

Category: Poetry and poems

nas curvas do teu rosto

nas curvas do teu rostoo tempo que já não temos.nas curvas da estradaa incerteza do caminho.nos desvãos dos sonhoso vazio que nos suprime.no oco de nossos ouvidoso sussurros das ruas.nos solavancos do destinoo gosto da noite insone.no anverso do vividoa certeza de ninguém.no horizonte distantea ...
Continue Lendo

Category: Poetry and poems

como se não te avistasse

como se não te avistasse,diluída e mínimano dissoluto da despedida.como se não te perdesse,nas ruas, nas estações,de anseios inundada.como se não estivessesparalisada, imóvel,sem esperanças, perspectivas.como se tudo permitisses,vencida pela passagemimplacável do tempo.como se tudo ocultas ...
Continue Lendo

Category: Poetry and poems

de tuas entradas às tuas entranhas

de tuas entradasàs tuas entranhas,da eterna moradados teus segredosmolhados,de mim,desde dentro,o momentoé eterno.entre os teus lábiosde rósea mucosaque abroe me abraçam,a cabeça,o tronco,o membroengolemo tempo.Poema do livro DoisA venda em http://sergioprof.wordpress.comContato:blog: http://s ...
Continue Lendo

Category: Poetry and poems

o meu corpo a buscar teu corpo ausente

o meu corpo a buscar teu corpo ausente,e minhas mãos a tocar o vazio,e esses meus olhos na eterna buscadessas tuas curvas de sedução.enfrento meu rosto dilaceradoa encarar de frente o triste espelho,a boca solitária mitigandoo calor de teu beijo que persiste.no espanto volátil do meu mundopelo ...
Continue Lendo

Category: Poetry and poems

decifrando teus abismos

decifrando teus abismose teus açoresemaranhei minha vidaentre moinhos,atirei-me à sortedestes descaminhos.Poema do livro DoisA venda em http://sergioprof.wordpress.comContato:blog: http://sergioprof.wordpress.com/facebook: https://www.facebook.com/jardimpoetahttps://www.facebook.com/poetajardimtwi ...
Continue Lendo

Category: Poetry and poems

dentro daquele beijo

dentro daquele beijoteu sabor de peçonha.dentro daquela saiameu desejo, tua vergonha.dentro daquele decoteo cheiro da minha colônia.dentro daquele quartonoites e noites de insônia.dentro daquele sonhoum tempo de urgências e cio.dentro daquele aconchegotoda uma vida de estio.Poema do livro DoisA ...
Continue Lendo

Category: Poetry and poems

o vívido corpo que possuis

o vívido corpo que possuisenvolve-me em suor e visgo.fodo contigo ao invés de uivar para a lua.ver-te. tocar-te. no sinuoso caminhoque percorro de fomes e agonias,colada a tua boca à minhao instante arde interminável.fodes como quem acalenta um filho.Assista o vídeo:https://www.youtube.com/watc ...
Continue Lendo

Category: Poetry and poems

dentro de nós

dentro de nósfantasias e credos,feito forma,feito faca,feito fomeque eclode diante dos fatos.tudo é chama, tudo é lavaa se consolidar em nosso abraço.dentro do mimcrenças e cristos,feito falo,feito fala,feito fato,algo que te quermais imenso, mais intenso,eternamente vivo,insano como um raio.de ...
Continue Lendo

Category: Poetry and poems

menti, enganei, aprendi

menti, enganei, aprendi.fui óbvio, objetivo, prático.bebi, fumei, cheirei,tomei comprimidos.perdi a fé.li, escrevi, rasguei.saí pela porta dos fundos.disse por favor,obrigado,sinto muito.fugi.gritei.esqueci.mantive a calmasobre a cama desarrumada.fiz a barba.fiz planos.arrumei a casa.lavei os pr ...
Continue Lendo

Category: Poetry and poems

andei pelas avenidas até minhas pernas se confundirem com o asfalto

andei pelas avenidasaté minhas pernas se confundiremcom o asfalto.ouvi as vozes de amigos desaparecidose de antigas paixõesperdidas num passado distante.tantos anos, tantas mudanças,tanta coisa mudou.mas tudo permanece tão igualreverberando nas paredes.à noite vi o meu reflexo no espelhoe não ...
Continue Lendo

Category: Poetry and poems

sou somente um bardo

sou somente um bardo,órfão da perdida esperançavagando pelas ruasimundas de salvador,descrente da própria andança.sou somente um bardoescrevendo a minha sortena pauta do improvável acaso,em linhas tortas,ausentes escolha e norte.sou somente um bardo errantesem parada, sem me comover,leve como ...
Continue Lendo

Category: Poetry and poems

te busco em todas as outras

te busco em todas as outrasno áspero, sinuoso rio dos abraços.às vezes vejo tuas mãosoutras são teus pelos, outrasteus lábios iguais ao teu sexo.a vida explodepor todas as frestas da cidade:pernas, bocas, seios, bundas.sou apenas carne e osso.como era teu nome?helena, verasara, daniela?perdeu- ...
Continue Lendo

Category: Poetry and poems

penetraste meus vãos misteriosos

penetraste meus vãos misteriosos,minha alma de mulher.ocupaste meus espaços,provaste do meu mel,do meu corpo te embriagaste.bebeste em minha fonte,percorreste minhas formas,minhas fendas, minhas frestas,meus recôncavos,me fizeste te desejar.conheces agora o objetode meus suspiros,conheces a causa ...
Continue Lendo

Category: Poetry and poems

provo teu negro amor

provo teu negro amor,teus lábios amargosna escuridão de nosso beijo.o espelho reflete nossos corpos nuse o negrume que nos acompanha.púbis clara,lua rara,nossa roupaspelo chãoda sala.teus olhos imóveissão pedras preciosasa comprar o vazio da cama.uma mulher vazia de sonhos.tua beleza,que me fe ...
Continue Lendo

Category: Poetry and poems

de ti trago memórias

de ti trago memóriasque o tempo cuidou em preservar,voos de ícaros que ainda amanhecemno orvalho da minha sedepela febre do teu corpoque em mim nunca se extinguiu.minhas mãos ainda te buscamainda que há muito já não te toquem.perco-me em minha insensatezcolhendo alegorias, ilusões,acorrentado ...
Continue Lendo

Category: Poetry and poems

eternos dias

foram eternos dias a distanciar nossas vidas.nossos corpos, separados, recriaram seus instintos,circunspectos, mesclados a um proscênio foscoatuamos como se nunca houvéssemos nos encontrado,nos tocado, nos provado, nos revelado,determinados, sob um céu ordinário.foram eternos dias a desamarrar n ...
Continue Lendo

Category: Poetry and poems

a casa está vazia

a casa está vazia, estar só se torna um compromisso. o teu cheiro, porém, continua no ar, o mesmo ar ordinário que respiro e que traz o aroma de quando estavas aqui. a falta que me fazes, porém, é um prêmio. é um presente que custei a aceitar e que me libertou do senso comum, do ofício de f ...
Continue Lendo

Category: Poetry and poems

se me falta o chão em que piso

se me falta o chão em que piso, busco no próximo passo a convicção de firmeza e se o agora é inconsistente me volto para o futuro que desconheço. carrego comigo o peso de outras vidas. junto forças que não tenho para fazer do meu rastejar minha andança nesta árida estrada. trago no peito a ...
Continue Lendo

Category: Poetry and poems

nos acostumamos

nos acostumamos com aquilo que esperávamos sem nos importarmos quando viria ou mesmo se viria. cultivamos flores sem perfume, um amor contido que continuávamos aguardando nascer. ao acordarmos do sonho, assistimos a esse vir a ser sem a certeza de vir, um anseio inacabado que enfim se dá por conc ...
Continue Lendo

Category: Poetry and poems

em minha boca calada guardo palavras mortas

em minha boca calada guardo palavras mortas e assisto um mundo que silencia turvo e triste, nada mais o que dizer diante desta imobilidade. a incômoda certeza de não mais estar vivo apesar das evidências. só tu permaneces, ainda que ausente. atravessas as horas como se o tempo fosse para ti um b ...
Continue Lendo

Category: Poetry and poems

foram eternos dias

foram eternos dias a te procurar até que enfim desistisse, guiado por uma inútil esperança até que esta em pó se desfizesse. tanto foi o tempo a te modificar que te tornaste como quando não existias. voltaste a ser como se nunca tivesse te encontrado, quando não sabia que havias nascido, algu ...
Continue Lendo

Category: Poetry and poems

foi preciso te encontrar

foi preciso te encontrar para perder o meu chão e minha pátria, para mergulhar em exílio voluntário e esquecer o nome da terra em que piso. foi por causa de teus descaminhos que se embaralharam minhas rotas e acabei por aceitar meu destino: já não podia mais ser salvo, já não havia mais resg ...
Continue Lendo

Category: Poetry and poems

algo se quebrou no universo

algo se quebrou no universo e sombras emergem da carcaça do mundo com a incessante enunciação de um espaço vazio. eterna e triste é a noite, esse território onde me vejo apátrida, refugiado, imigrante, deslocado. sob o signo do improvável minhas fronteiras são traços arbitrários criados p ...
Continue Lendo

Category: Poetry and poems

antes que eu pudesse me dar conta

antes que eu pudesse me dar conta, desde o princípio, antes mesmo de te conhecer, já te amava. cultivava este amor repleto de promessas imprevistas, em outro hemisfério, em terras distantes, em outro continente, por cruzar mares e oceanos até me encontrar. já amava a tua cor e o teu toque, tuas ...
Continue Lendo

Category: Poetry and poems

será que consegues entender

será que consegues entender que algo em mim passou a bater fora de seu ritmo, que por onde passo já não tenho pressa, que as noites deixaram de ser uma busca feroz, que as estrelas, agora as conheço pelo nome, que naquilo que enxergo surgiram prioridades? será que percebes que mesmo acordado me ...
Continue Lendo

Category: Poetry and poems

PUPILA

vejo o pequeno corpo:nenhuma nudez será como antes.doce provocação, um desafio, o cruelconvite dos teus olhos infantes.sob meu peso, vejo tua febre urgente.com o que sonhas, quase menina?o que te traz este sorrisoque em teu rosto se ilumina?na leitura de teu corpo bravio,encontro nos seios seus d ...
Continue Lendo

Category: Poetry and poems

levo comigo uma sílaba

levo comigo uma sílabapor onde quer que ande,new york, pequim, chernobyl,em qualquer canção que cante.levo comigo uma sílabaveloz, precisa, fugaz,na guerra eterna de todos os diasou na quietude de um cais.levo comigo uma sílaba,um signo, um nó, um segredo,um ideograma: a mensagemclara do últi ...
Continue Lendo

Category: Poetry and poems

COMUNHÃO DE BENS

se quem ama perde o passo,renuncia, se amar é desgoverno,descompasso, é perder a vergonhae o medo no escuro de um quarto,é perder com um homem, tardeou muito cedo o hímen e a virgindade;não será desamar readquirirritmo, reaprender a santidadeque não mais existia?eu me entregava, você me comi ...
Continue Lendo

Category: Poetry and poems

um dia

um diae mais outro dia.a mesa posta,os copos, talheres, o amorde antes agora em algumcanto da casa escondido,quem sabe talvezem algum hotelnas últimas fériasesquecido.um dia,outro dia.os filhos que crescem,novas intrigas;o mesmo canal,uma outra novela;o carro novo,os mesmos caminhos.um diae depois ...
Continue Lendo

Category: Poetry and poems

MARILYN

já é tarde, dorme a lourao seu sono sereno; sonham as mãescom seus pequenos, pedem a deusque cresçam livres de todo mal.NEMBUTAL! NEMBUTAL!os médicos nada sabem, nada sabe a cia.só as tias, mas bebem gim nesta hora:silenciam as americanas senhorascoast to coast, em cada capital.NEMBUTAL! NEMBU ...
Continue Lendo

Category: Poetry and poems

o amor acaba

o amor acaba.como um castelode cartas, um viadutoque desaba.só se percébe.no sábado ao se acordar.quando tudo silencia.na praia.no fimda tarde.ou durante o jantar.quando se repara.o brilho do anelque já não brilha,o vinco na memóriaque falha, o cantode morgana que anuncia:todo ser que se móve ...
Continue Lendo

Category: Poetry and poems

marta

nos olhos vermelhos de martaas frases do seu discurso sem nexo,a lembrança de que a vida é breve,seu querer não querendo, seu sexo.no riso histérico e românticode marta a dor, a revolta e a coragem.a certeza de que suave é a noitee nos espelhos a sua imagem.nas mãos geladas de martao tempo de ...
Continue Lendo

Category: Poetry and poems