Frederico Nercessian

Artist

Bio

escritor, autor do livro Casa Vazia.

Posts

Crônicas de uma avó

depois de horas dobrando e desdobrando as roupas no armário, colocando pasta de dente na escova e perguntado se alguém já fora capaz de abrir o pote de vidro com doce de leite - uma vez que o tempo em sua cabeça é um pouco mais elástico - esta senhora de cabelos encaracolados e tingidos, minuc ...
Continue Lendo

Verossimilhança

De segunda a sexta, às 8 horas manhã, eu pegava o ônibus Pinheiros na avenida Ipiranga em direção ao trabalho. Pontual, não me recordo de atrasos. Deve ser por isso que reconhecia grande parte das pessoas no ponto. Cada qual carregava malas e mochilas em suas costas e o cansaço dos dias traba ...
Continue Lendo

Category: None

Relato do Gérson

Visitava cemitérios no lugar dos museus. O silêncio, a calmaria e os passos lentos são iguais. O que os difere é o choro. Pessoas indo e vindo substituem o guia pelo padre ou por um parente capcioso nas palavras. Se homenageia histórias de vida, superação, o sorriso frente às adversidades. M ...
Continue Lendo

Cotidiano entre pais e filhos

- Marcelo, volta aqui!- Cansei…- Cansou? Cansou de quê?- De ficar o tempo inteiro ao lado de vocês.- Como assim? Ficou louco?- Quero me esconder, criar meu próprio tempo.- Não seja besta, não se pode criar o tempo!- Me deixe só…- Venha aqui e me ajude a levar as compras para a cozinha!- So ...
Continue Lendo

pelas ruas

meu coração palpitaquanta delicadeza, quanta solidariedadesignificados antropológicos, sociológicos, particularesmistura-se a insignificânciatradições paulistanas: miscigenadasmicro-organismo, insaciável, intransigente, fragilizadolixo espalhado por todos os cantosdiscussão entre caminhos, ...
Continue Lendo

O Sol

E então ele decidiu vender o Sol. Não ligava em imaginar a escuridão dominando sua vida pois, somente assim, acabaria com inúmeras ilusões. De que adiantava acordar todas as manhãs e olhar pela janela o céu claro se na verdade ele o atormentava e o fazia lembrar daquilo que possuiu mas a ...
Continue Lendo

Crônicas de uma avó

depois de horas dobrando e desdobrando as roupas no armário, colocando pasta de dente na escova e perguntado se alguém já fora capaz de abrir o pote de vidro com doce de leite - uma vez que o tempo em sua cabeça é um pouco mais elástico - esta senhora de cabelos encaracolados e tingidos, minuc ...
Continue Lendo

Category: Short story

Verossimilhança

De segunda a sexta, às 8 horas manhã, eu pegava o ônibus Pinheiros na avenida Ipiranga em direção ao trabalho. Pontual, não me recordo de atrasos. Deve ser por isso que reconhecia grande parte das pessoas no ponto. Cada qual carregava malas e mochilas em suas costas e o cansaço dos dias traba ...
Continue Lendo

Category: None