Notice (8): Undefined index: HTTP_ACCEPT_LANGUAGE [APP/Controller/AppController.php, line 55]
User profile

Cintia Barros

Artist

Bio

O que restou depois de tanto querer nem eu sei, sou uma folha solta e sem direção esperando me afogar...

Posts

Madrugada e um sopro

Quando a calmaria repousa em meus dias,Um vento suave anuncia que a tempestade passou deixando-me mais forte,Os momentos oscilam entre o querer sentir o aperto e silenciar toda ilusão,Agora...As ilusões foram embora, Felizmente rasguei o seu manto, Bordei as marcas que doíam...Que ainda doem em n ...
Continue Lendo

Category: Poetry and poems

Conhecer

Ele calou sua dor e fingiu ser mais um,Retirou a tristeza dos seus versos sentidos,Entregou-se à fantasia que sonhara desde menino,Era apenas outro alguém fazendo parte da multidão,No final havia descoberto que eram iguais, Rasos como poças cobertas por água da chuva,Acreditando no amanhecer, r ...
Continue Lendo

Category: Poetry and poems

Rasgando o verso

Por acreditar que estava protegida ao seu lado fui revelando meus segredos,O apreço que tinha por ti superava o medo da rejeição, Eu te queria platonicamente, queria para sempre e sem pressa,O meu amigo e confidente.Entre vários momentos desejei seus sábios conselhos, mas não podia ouvir sua v ...
Continue Lendo

Category: Articles and Opinion

Descosido

Fui juntando os caquinhos e colando o que sobrou na despedida de mim,Precisei ser forte, fui trocando os passos, olhando para baixo sem acreditar que passaria,Uma revolta tentava me dominar, uma dor que rasgava minha alma e parecia eterna,Olhando para trás reconheço o milagre, ainda estou viva, Eu ...
Continue Lendo

Category: Poetry and poems

Introspectivo

Eu e minha busca por nada,Em dias cinzentos a nostalgia me abraça, Tudo é tão conhecido que me assusta,Acostumei-me aos seus braços.O vento sussurra e não entendo os vários sentidos que habitam em mim,Do que sou feito, como perdi minha fé?Então descubro que sou feito de lembranças e histór ...
Continue Lendo

Category: Poetry and poems

Entre todas as manhãs

Pousa em manhãs de inverno a tranquilidade da vida,Brotam dos afetos sorrisos largos e uma esperança que havia esquecido,Sons e festa, farra do tempo mostrando-me as voltas do mundo,Quase que o equilíbrio me alcança, o fio do abismo aos meus pés,Entre danças e olhares festejo o paradoxo existe ...
Continue Lendo

Category: Poetry and poems

Intangível

Se sua alma conseguisse a liberdade que anseia,Enquanto envolto em neblina observas as visitas apressadas em sua vida,A inimizade do tempo alertando o quanto és efêmero, Amargando oportunidades que deixastes escapar.As diversas faces que escondes é um presságio do seu mistério maior,Vislumbrand ...
Continue Lendo

Category: Poetry and poems

Entrega

Retirando de mim toda coragem, Puxando a venda dos meus olhos,A realidade feria minha essência sonhadora,O barulho assustava meus instintos,Um desgosto mudou o destino deixando-me ao acaso do tempo,Eu e meus fantasmas,Minha alma e a dor atemporal. + ...
Continue Lendo

Category: Poetry and poems

Sobre os fantasmas que rondam o anoitecer

Chegará o dia que já não sentirei,Olharei e nada fará sentido sobre aqueles versos soltos,Ainda é cedo para deixar de pensar que me importo,Tão tarde para voltar atrás, e perdi a medida do que escrevias,Querer que pensasses do jeito que penso,Sentindo minhas verdades tão soltas, Ser verdadei ...
Continue Lendo

Category: Poetry and poems

Entre outras coisas

Tenho tanto para falar sobre você,Dos gestos que desconheço, escondidos na correria dos dias,Ver o seu mundo e me encantar com minha descoberta,Entender seus mistérios e seus momentos de solidão,Se algum dia eu conseguisse escrever sobre as noites que você habita,E repetir o seu nome lentamente ...
Continue Lendo

Category: Poetry and poems

Pulsos e choros

Preferia que fosse dor, Que o peito doesse cada vez que lembrasse da flecha acertada no centro, No ponto mais fraco, O tempo passou e tudo se foi, A dor foi embora dando lugar a indiferença, Era o grande medo, Um tanto faz misturado com acaba logo, A doença do não sentir, t ...
Continue Lendo

Category: Poetry and poems

No meio do caminho recolhi os caquinhos de algumas palavras

Não esperava despertar o interesse em dias tão calmos e frios, Precisava desta coragem trazendo o alívio e o sorriso de volta, Necessitava cantar e ouvir o canto com alegria, Seguia os sinais... Uma beleza de alma transparente, Queria apenas que o tempo parasse e estendesse sua cortina em no ...
Continue Lendo

Category: Poetry and poems

Tempestade

Se sua alma conseguisse a liberdade que anseia, Enquanto envolto em neblina observas as visitas apressadas em sua vida, A inimizade do tempo alertando o quanto és efêmero, Amargando oportunidades que deixastes escapar. As diversas faces que escondes é um presságio do seu mistério maior, ...
Continue Lendo

Category: Poetry and poems